Abertura de empresas cresce 15% em Minas Gerais

8 de janeiro de 2020

 

Estado chega ao ano de 2020 com mais de 750 mil negócios formalizados em atividades

Em 2019, a Junta Comercial do Estado de Minas Gerais (Jucemg) registrou a abertura de 53.758 novas empresas com números 15% maior dos 46.730 negócios formalizados no ano anterior. O mês de julho, foi o que apresentou os melhores resultados, com os dados de 5.276 constituições, crescimento de 31,5% em relação ao mesmo mês de 2018. Minas Gerais chega ao começo de 2020 com 751.450 empresas ativas. Destas, quase 364 mil atuam no setor de serviços, pouco menos de 309 mil estão no setor de comércio, e outras 79 mil são indústrias.

Perfil dos negócios

Agrupadas por porte, 600 mil são microempresas (receita bruta anual igual ou inferior a R$ 360 mil). As Empresas de Pequeno Porte (EPP), com faturamento anual entre R$ 360 mil e R$ 4,8 milhões, são em valores de 59 mil no Estado e destas 92 mil são empresas de maior porte, com receita bruta superior a R$ 4,8 milhões por ano. Os registros da Jucemg apontam a tendência de crescimento do setor de serviços, que responde por 65,9% do total de empresas abertas no Estado em 2019 outros 27,9% são estabelecimentos comerciais, e 6,2% na área industrial. Em 2018, os números foram, respectivamente, 64,3%, 28,9% e 6,8%.

O tipo jurídico de empresa que mais abriu ao longo do ano passado foi a Sociedade Limitada (Ltda), com 23.973 constituições. Em seguida, vem o Empresário Individual, com 18.212 novos empreendimentos, e a Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (Eireli), com 10.962 aberturas registradas. No ano houve a abertura de 284 Sociedades anônimas e 72 cooperativas, além de 255 empreendimentos de outras naturezas, como sociedade em comandita simples.

Política de desburocratização

Para o vice-presidente da Jucemg, Sauro Henrique de Almeida, o aumento do número de abertura de empresas no Estado é reflexo das medidas para simplificação dos processos adotadas pela Jucemg, em conformidade com a política de desburocratização proposta pelo governo Romeu Zema e a Lei da Liberdade Econômica (13.874/19). Nesse sentido, Almeida destaca o sistema de registro automático de empresas, desenvolvido e lançado pela instituição em abril. “Hoje, você abre uma empresa on-line e faz o registro imediatamente”, afirma.

“E a Lei 13.874 acabou com a exigência de alvará para atividades de baixo risco, facilitando a integração entre a Jucemg e os demais órgãos de licenciamento, como a Vigilância Sanitária e Prefeituras, para a Constituição das empresas. Isso diminuiu a burocracia estatal e prevalece o princípio da boa-fé do contribuinte. É um grande avanço para a nossa economia”, disse o vice-presidente. Os dados da Jucemg não contam os Microeempreendedores Individuais (MEIs), que se registram diretamente no portal do empreendedor do Governo Federal.

As estatísticas de abertura e fechamento de empresas em Minas Gerais podem ser acessadas no site da Jucemg, pelo link: https://www.jucemg.mg.gov.br/ibr/informacoes+estatisticas

 

Fonte – ASCOM – TRE/MG