Ministério da Saúde vai credenciar municípios para gerentes de atenção primária

27 de dezembro de 2019

O Ministério da Saúde deu início ao credenciamento dos municípios que receberão ajuda financeira para ampliar os serviços de atenção primária que tem por objetivo cuidar do atendimento, prevenção do agravamento das doenças, reabilitação e a redução nos danos à saúde na rede pública. No primeiro momento, serão ao todo 1.084 gerentes de saúde distribuídos por 319 cidades por 23 estados. Em nota, o ministério informa que os gerentes de atenção primária estarão dedicados à administração e na organização de processos de trabalho nas Unidades de Saúde da Família (USF), “o que deve melhorar o fluxo dos atendimento desses postos”. Os gerentes serão responsáveis, ainda, pela interlocução com outras unidades da rede de saúde, como na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e hospitais da rede pública.

 

A iniciativa visa poder retirar as funções administrativas que são cumpridas por enfermeiros onde estes estarão à disposição para o atendimento da população durante toda a jornada de trabalho e assim deixá-las a cargo dos novos gerentes, que não farão atendimentos diretos na saúde. O custo inicial do programa implantado com cerca de R$ 1,5 milhão em 2019, mas o repasse para 2020 será em torno de R$ 18,5 milhões. O Ministério da Saúde exige que os gerentes de atenção primária sejam profissionais com formação de nível superior e com experiência na área. A remuneração varia entre os salários de R$ 713 a R$ 1.426 ao cargo pretendido na área.

 

Fonte – Agência Brasil / Foto Reprodução – PebMed.