Policia Cívil emite nota sobre a Síndrome Nefroneural em Minas Gerais

13 de janeiro de 2020

Nota Oficial – Síndrome nefroneural

 

Polícia Civil de Minas Gerais dá novos esclarecimentos sobre as investigações a respeito da síndrome nefroneural

 

A Polícia Civil de Minas Gerais informa que os peritos do Instituto de Criminalística realizaram análises de amostras de cerveja produzida pela Backer no último sábado, dia 11 de janeiro. Estão sendo realizados exames no material que foi recolhido na cervejaria durante perícia ocorrida na última quinta-feira (09). Os laudos devem ficar prontos nos próximos dias.

 

Conforme divulgado na última sexta-feira (10), as amostras de sangue de três pacientes internados apresentaram a substância dietilenoglicol, a mesma que foi identificada em três amostras da cerveja. Sobre a informação de um supervisor do  empresa Backer registrou o Boletim de Ocorrências (B.O), no dia 19 de dezembro de 2019, após um funcionário ter sido demitido, constando o crime de ameaça demanda uma ação penal pública condicionada à representação do ofendido. No ponto de vista, a pessoa registou o boletim e, não foi à delegacia representar a continuidade de uma ação penal e por isso não foi instaurado um termo circunstanciado de ocorrência.

 

Independentemente deste fato, a Polícia Civil não descarta nenhuma possibilidade, o que vem sido divulgado desde o momento em que o Delegado Flávio Grossi instaurou o inquérito sobre a forma de contaminação da cerveja Belorizontina, ou seja, a partir da última quarta-feira. É importante ressaltar que desde o momento em que a Policia Cívil tomou conhecimento de que as pessoas que desenvolveram a Síndrome Nefroneural podem ter sido contaminadas após ingerir a bebida, foram instauradas diligências preliminares no qual subsidiam a decisão da autoridade instaurar ou não um inquérito.

 

Imagem – Cerveja Belorizontina / Divulgação