Polícia Civil identifica pichadores em Lavras

4 de setembro de 2019

Ação conjunta desencadeada na manhã desta quarta-feira, 04/09 entre policiais civis e militares cumpre 8 mandados contra vândalos pichadores

Material apreendido nas casas dos suspeitos. Foto: Polícia Civil


Investigadores da 1ª Delegacia Regional de Polícia Civil, sob o comando do delegado Leandro de Prada Macedo Costa, desencadearam na manhã de hoje, quarta-feira, dia 4, uma operação para cumprir 8 mandados de busca e apreensão em residências dos vândalos que tem feito pichações pela cidade, entre elas, monumentos históricos e praça tombada pelo Patrimônio Público.

Os investigadores apreenderam computadores e aparelhos celulares dos investigados, além de latas de spray e outros apetrechos usados para pichações. A Polícia Civil espera agora conseguir mais informações sobre outros vândalos que agem na calada da noite depredando patrimônio público e de terceiros.

Na casa de um dos investigados os policiais civis apreenderam uma munição de arma de fogo de uso restrito e uma pequena fração de maconha, ele foi preso em flagrante delito pelo crime de posse ilegal de munição de uso restrito e uso. Com outros dois investigados foram apreendidas pequenas frações de maconha, evidenciando que serviriam para consumo próprio.

Segundo o delegado Leandro de Prada Macedo Costa, o inquérito policial será finalizado nos próximos dias e, pelos elementos coletados, os suspeitos deverão ser indiciados pelas práticas dos crimes de dano ao patrimônio público e associação criminosa, além do crime ambiental definido em lei.

A ação realizada hoje vai de encontro aos pedidos da população que em muitos casos tem também seus comércios e residências como alvo destes vândalos, causando além de poluição visual, prejuízo ao proprietário,  já que o mesmo é obrigado a arcar com os custos para refazer a pintura de seu imóvel, muito pior é a pichação em prédios e monumentos históricos, já que são públicos, a comunidade toda acaba pagando por sua limpeza e restauração, já que as pessoas que são designadas para tal serviço são funcionário público, e o tempo e dinheiro gastos nestas recuperações poderiam ser usados em outras atividades mais benéficas a população.